A partir do dia 1 de agosto de 2017, todos os pedidos recebidos pelo Olist passaram a contar com a cobrança de comissão sobre o valor total do pedido, incluindo valor do produto + frete, assim como já realizado pela maioria dos marketplaces no Brasil.

ENTENDA O CONCEITO DO MODELO DE COMISSÃO

Antes de 1 de agosto de 2017, o Olist assumia um risco financeiro ao cobrar comissão apenas sobre o valor do produto, quando canais como B2W, Walmart e CNOVA, sempre cobraram sobre o valor total do pedido (produto + frete). Com isto, acumulávamos prejuízos em pedidos cujo valor do frete é elevado ou quando o valor do produto é baixo.

O QUE CONTEMPLA A COMISSÃO DO OLIST?

O Olist trabalha com uma margem bastante enxuta. É importante entender que os 20% de comissão cobrados pelo Olist contemplam todo e qualquer custo inerente ao seu pedido, bem como a transação completa (e não apenas o produto) tais como:

  • Antecipação do recebível (no Olist, você recebe à vista, mesmo se a venda foi feita a prazo)
  • Comissão do Marketplace
  • Gateway de Pagamento (serviço de intermediação e segurança financeira)
  • Antecipação de crédito para os Correios
  • Anti-fraude na compra por cartão de crédito

No modelo antigo, quando o frete era elevado ou quando o valor do produto era baixo, o Olist levava prejuízo financeiro, pois a comissão do Marketplace (incidente sobre o valor total do pedido) era superior à comissão cobrada pelo Olist (incidente sobre o valor do produto apenas).

COMPARANDO O MODELO ANTERIOR E O MODELO ATUAL

No quadro comparativo abaixo, você poderá acompanhar 3 exemplos de produtos de preço baixo, médio e alto, e o impacto do modelo antigo x o modelo atual de comissionamento do Olist.

Qualquer dúvida, entre em contato conosco.

Encontrou sua resposta?